Leitão Vesgo afoito por detonar ANVISA e agilizar a 'vacina russa de Bolsonaro'

Leitão Vesgo afoito por detonar ANVISA e agilizar a 'vacina russa de Bolsonaro'

Compartilhe nas redes sociais!

VAI VENDO...

 

Recentemente: Ricardo Barros ameaça 'enquadrar' Anvisa e Bolsonaro sai em defesa da Agência

e ainda disse:

“não precisa se retratar” por querer “enquadrar” Anvisa

 

Centrão transforma ANVISA em 'carimbador maluco' do Capitão Corona

LEITÃO VESGO, É O APELIDO DE RICARDO BARROS (PP-PR) NAS LISTAS DE PROPRINAS DA ODEBRECHT.

BARROS É MARIDO DE CIDA BORGHETTI (PP) EX-GOVERNADORA TAMPÃO DO PARANÁ, CHAMADA DE 'PRINCESA' NAS LISTAS DA ODEBRECHT. VEJA MAIS SOBRE A FAMÍLIA BARROS DE MARINGÁ-PR AQUI.

BARROS JÁ É BEM CONHECIDO DAS FARMACÊUTICAS E ESTÁ POR TRÁS DE TODO O MOVIMENTO DA VACINA OXFORD-ASTRAZENECA E DA LIBERAÇÃO DA VACINA RUSSA SPUTNIK-V. , AGORA, CHAMADA DE 'VACINA DE BOLSONARO' MAS QUE O CENTRÃO QUER CHAMAR DE 'VACINA DOS DEPUTADOS'.


REVEJA>>>

O Antagonista fala  em 29/12/2020 das circunstâncias por trás da vacina Oxford-Astrazeneca escolhida por Bolsonaro para o combate à COVID-19 no Brasil mas que ninguém sabe quando chegará de fato e quando estará de fato disponível para o povo brasileiro. 

Mas, como se vê em 6/2/2021, tem muito mais.

Leitão vesgo é o cara de Bolsonaro na negociação da Sputnik-V e da transformação da ANVISA em puxadinho do Jair e sabe Deus mais o que.


MAIS UMAS COISINHAS DO LEITÃO VESGO, RICARDO BARROS:
 
O NEGOCIADOR E A MORTE DE 14 PESSOAS - O deputado do Paraná, Ricardo Barros, PP, Ex-ministro da saúde de Temer, e que já deu umas pauladas em Bolsonaro mas agora é líder do governo na Câmara, está, segundo O Antagonista, no comando da negociação.

AGÊNCIA BRASIL -  MP entra com ação contra Ricardo Barros por irregularidades na Saúde

A Procuradoria da República no Distrito Federal, órgão do Ministério Público Federal, ajuizou uma ação contra o ex-ministro da Saúde e deputado federal Ricardo Barros (PP) por improbidade administrativa durante sua gestão no ministério. A investigação que resultou na ação teve início com a apuração de problemas na aquisição de medicamentos sem licitação por conta de demandas judiciais.

Segundo o MPF, entre as irregularidades cometidas estariam favorecimento de empresas, desrespeito à legislação sobre exigências no serviço público e de normas sobre licitações, prejuízo a patrimônio público, descumprimento de decisões da Justiça e medidas que teriam contribuído em casos que resultaram nas mortes de 14 pacientes.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2019-01/mp-entra-com-acao-contra-ricardo-barros-por-irregularidades-na-saude


 O ANTAGONISTA SOBRE AS MANOBRAS POR TRÁS DA VACINA DO BOZONARO JAIRNOCIDA:

O consórcio AstraZeneca/Oxford até agora não apresentou à agência de vigilância sanitária europeia o pedido de registro de sua vacina, depois da polêmica envolvendo os testes clínicos.

O imunizante foi a grande aposta do governo, que se apressou a firmar um acordo com a farmacêutica britânica ainda em julho, por meio da Fiocruz, ligada ao Ministério da Saúde.

Jair Bolsonaro se fia nesse acordo para escapar de um processo de impeachment por negligência com a saúde da população.

Mas talvez o Ministério Público se interesse em saber por que o Palácio do Planalto também não se apressou em negociar com a Pfizer/BioNTech, a Sinovac e demais laboratórios.

Nos bastidores, a vacina da AstraZeneca/Oxford ganhou o apelido de  “vacina do Bolsonaro”.

Essa impressão é reforçada quando se percebe a resistência enfrentada por outras farmacêuticas para fechar contrato com o governo ou para conseguirem avançar na Anvisa.

E também pela Medida Provisória que direcionou quase R$ 2 bilhões para viabilizar a compra  de 100 milhões de doses e seu processamento final na Fiocruz.

Do valor total, R$ 522,1 milhões estão sendo repassados para a Bio-Manguinhos ampliar sua capacidade de produção de imunobiológicos.

A cúpula da Fiocruz foi nomeada em 2017 no governo Temer. Ricardo Barros, então ministro da Saúde, não conseguiu emplacar a presidência, mas garantiu três diretores: Marco Aurélio Krieger, Marco Antonio Carneiro Menezes e Mário Santos Moreira.

Krieger é o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde e principal nome por trás da parceria com a AstraZeneca. Ele é sobrinho de Jaime Lerner, amigo da família Barros.

O líder do governo mantém outro apadrinhado, Roberto Ferreira Dias, no comando do poderoso Departamento de Logística em Saúde da Secretaria Executiva, responsável pelas aquisições da Saúde. Dias quase foi nomeado diretor da Anvisa, que aprova as vacinas.

Em outubro, Barros comandou a reunião de Eduardo Pazuello com os governadores para tratar do plano nacional de imunização. É mais justo dizer que a vacina da AstraZeneca é também a vacina de Ricardo Barros.

https://www.oantagonista.com/brasil/a-vacina-de-bolsonaro-e-de-ricardo-barros/


Barros, Leitão Vesgo, é o mesmo que disse que 'Bolsonaro poderia ser demitido' se não abrisse os cofres públicos.

Réu e pego na Lava Jato, Líder do governo Bolsonaro quer plebiscito pra mudar a Constituição

AGÊNCIA BRASIL SOBRE AÇÃO DO MP CONTRA O LEITÃO VESGO

https://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2019-01/mp-entra-com-acao-contra-ricardo-barros-por-irregularidades-na-saude



 

Siga-nos nas redes sociais:






Quer receber novidades sobre a política e o que está acontecendo no Brasil e no mundo?
Clique aqui e cadastre-se: +55 42 9 9147-7863
Leia também
X