Bolsonaro participou de negociata de propina na vacina Covaxin, mostram mensagens do celular do Dominguetti

Bolsonaro participou de negociata de propina na vacina Covaxin, mostram mensagens do celular do Dominguetti

Compartilhe nas redes sociais!

Mensagens do celular apreendido do Dominguetti, pela CPI, revelam as conversas entre os bandidos bolsonaristas e numas delas, eles citam que Bolsonaro tem pressa para fechar a negociata que renderia R$ 1 bilhão em propinas à US$ 1 dólar por dose de vacina.

Resumindo: além de sabotar outras vacinas que poderiam ter evitado a morte de milhares de pessoas, Bolsonaro ainda tinha pressa para pegar a propina da Covaxin, mas no final descobriu que liberaria dinheiro do pvo para pegar R$ 1 bilhão em propina em produto que não existia.

É o ladrão sendo enganado por outros ladrões.

Impeachment  cadeia, simplesmente.


O Antagonista:

Ao receber as mensagens reencaminhadas por Dominguetti, o interlocutor “Rafael Compra Deskartpak” respondeu:

“Dominghetti, agora são 5 da manhã no Texas [sede da Davati nos Estados Unidos]. E outra! Jamais será enviado uma SGS sem contrato assinado.”

O policial militar, então, escreveu:

“Vamo alinhar com reverendo.”

Ainda em 8 de março, por volta das 13h, Dominguetti pressionou o interlocutor para que fosse realizada uma reunião com o presidente da Davati nos Estados Unidos, Herman Cárdenas, e que “o Presidente chamou ele lá”.

“O reverendo está em uma situação difícil neste momento. Ofereceu a vacina no ministério. Presidente chamou ele lá”, escreveu o policial militar.

 

VEJA MAIS LÁ SE QUISER

Siga-nos nas redes sociais:



Quer receber novidades sobre a política e o que está acontecendo no Brasil e no mundo?
Clique aqui e cadastre-se: +55 42 9 9147-7863

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.

Leia também
X