Mais de 50 empresas desenvolvem carros voadores

Mais de 50 empresas desenvolvem carros voadores

Compartilhe nas redes sociais!

EURONEWS -  Mais de 50 empresas estão atualmente a desenvolver vários protótipos de aeronaves com a capacidade de transportar até 20 passageiros. Entre elas, está a start-up turca AirCar.

Desde a sua fundação, em 2017, a AirCar tem procurado formas de sair dos engarrafamentos nas estradas. Sediada na versão turca de Sillicon Valley, a AirCar tem uma parceria com o maior fabricante de software do país.

Em vez de esperar pela construção de estradas maiores e melhores transportes públicos, a empresa está a colocar a fasquia mais acima, literalmente. O seu objetivo final é ter uma rede de táxis voadores inteiramente movidos a eletricidade e sem condutor.

Após a realização de mais de mil ensaios em pequena escala, os testes num protótipo de tamanho real começaram este ano. De acordo com o diretor executivo, Eray Altunbozar, a companhia espera começar a transportar passageiros no início de 2025.

Mas ainda existem barreiras a ultrapassar. Uma delas é a dimensão dos atuais transportes públicos.

Como explica Andreas Bardenhagen, professor na Universidade Técnica de Berlim, se compararmos o número de passageiros que um comboio, ou um autocarro podem transportar a capacidade de um helicóptero dos tempos modernos é muito menor. O transporte de centenas de pessoas em táxis voadores, por exemplo, implicaria termos "um espaço aéreo muito lotado". E o especialista duvida que o público aceite isso.

Outra complicação são os regulamentos nacionais e internacionais relativos aos aparelhos voadores. Phil Seymour. presidente da IBA, diz que todos "os países em todo o mundo têm reguladores que seguem diretrizes rigorosas de fabrico".

Apesar de garantirem a existência de uma rede de segurança e regulação, esses reguladores podem vir a atrasar os planos para um serviço de táxi voador convencional.
Transporte de grandes cargas também será possível

Quando as entregas exigirem uma maior capacidade, a companhia francesa, Flying Whales, diz ter a solução. Os seus enormes dirigíveis podem não só transportar cargas úteis de 60 toneladas em longas distâncias, como também o podem fazer de forma sustentável.

O diretor executivo, Sebastien Bougon, diz mesmo que a empresa poderá revolucionar a indústria da saúde, graças a dirigíveis de grande capacidade que se podem transformar em hospitais, em áreas remotas, e assim fornecer "a mesma qualidade de cuidados de saúde que as grandes cidades".

Os carros voadores e os novos meios de transporte aéreo já não são uma fantasia. Milhões de euros estão já a financiar dezenas de novas empresas em todo o mundo. Mas será que o setor vai continuar a ser uma novidade para ricos ou poderá verdadeiramente transformar a forma como todos nós viajamos? Apenas uma coisa é certa, uma mudança está no ar.

Siga-nos nas redes sociais:


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.

Leia também
Junte-se a nós
X