FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
13/01/2020   

Corrida eleitoral começa a se polarizar entre esquerda e direita em Ponta Grossa

A corrida eleitoral começa a tomar forma em Ponta Grossa-PR.

De um lado os possíveis futuros candidatos, prefeituráveis, Aliel Machado e Pauliki, que tem os dois pés na esquerda e que já foram ligados à Gleisi Hoffmann (PT), PCdoB, CUT e outros em outras eleições se movimentam com movimentos de esquerda com clara intenção de oposição aos governos de Bolsonaro e Ratinho Jr, embora não o admitam declaradamente, adotando uma postura em cima do muro.

De outro lado, à Direita tem Pedro Wosgrau, Felipe Passos e Márcio Ferreira, que já se mostram claramente em apoio a Bolsonaro e Ratinho Jr.

Essa, parece ser a posição dos eventuais prefeituráveis em PG.

Já entre os eventuais candidatos chamados pelo povo de 'nanicos', Mainardes despejou  o verbo em Daniel Milla, que acuado nem respondeu.

Milla, segundo dizem as más linguas dos bastidores da câmara de PG, fora chamado de 'traidor' duas vezes.

Uma, por ter se jogado e se lançado como pré-candidato à prefeito (sendo que havia, dizem, combinado com Mainardes que se tivesse o apoio para a eleição de presidente da câmara o apoiaria para prefeito, mas Milla roeu a corda).

Já na outra vez, Milla teria sido chamado de traidor por ter anunciado 'economias enormes na câmara' o que deixou Mainardes fulo, já que Milla fez parecer que a gestão de Mainardes como presidente da câmara de PG tivesse sido de uma incompetência cavalar, gigantesca.

Já outros eventuais candidatos sumiram do mapa, tomaram doril.

Douglas Fonseca pelo jeito deve desistir da corrida por problemas de saúde. Àlvaro Góes por causa do compromissos com o Operário.

Zampieri rema, mas sabe que sua eventual candidatura é fraca e que pode dar em nada.

A Elizabeth Schmidt e Celso Santana estão no meio de um furacão, pois foram muito criticados por causa do dinheiro do povo gastos em diárias, principalmente, em viagens ao exterior, um escândalo de fato. Ambos, ouvindo o povo nas ruas, sobretudo nos bairros, não tem votos para concorrer à prefeito.

George Oliveira,  diz o povo, por  mais que tente ser prefeito, no máximo será eternamente um vereador mediano e olhe lá. Mas ele tenta.

E outros 'louquinhos', aqueles candidatos que todo mundo sabe que não tem nenhuma chance, só se metem na corrida pra pegar dinheiro do fundão e fazer festa.

No final das contas, quando chegar nas convenções e decisões de fato, a tendência é ter pela esquerda e centro-esquerda, Aliel e Pauliki. Pauliki é um grande empresário de sucesso mas é freguês de longa data em eleições municipais e ainda amarga sua não eleição para deputado federal, por pura incompetência e falta de visão política no jogo político.

De outro lado, embora pareça complicado e até improvável, Márcio Ferreira tem crescido em pesquisas, tem sido muito comentado nas redes sociais e pode ser o nome do lado dos irmãos Sandro Alex e Marcelo Rangel com apoio de Ratinho Jr e mais ao lado da direta e de Bolsonaro.

Também, mais ao centro-direita, Felipe Passos (PSDB), que mostrou que tem votos em Ponta Grossa nas últimas eleições nacionais.

Contudo, ainda é cedo pra dizer, a escolha dos vices será o fiel da balança.

Mas muita coisa vai rolar daqui pra frente.

A corrida eleitoral em PG promete e grandes escândalos devem vir à tona como sempre.

(Post de Emerson Rodrigues, blogueiro, editor geral do FCSBR, aos blogues da mídia livre no Brasil e no Exterior [email protected]) 

ROMU-PG prende 02 por agressão contra mulheres e 01 traficando em pista de skate em PG


Internautas ironizam plano de Pauliki pra saber quais as ideias do povo de PG 

Com 24 assessores, deputado Aliel Machado diz que 'é o seu sonho ser prefeito de PG' 





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



JAIR TENTA FERRAR MORO

LAVA TOGA EM 1999

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X