FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
06/02/2014   

Depois do porto de Cuba, dinheiro do povo brasileiro bancará 'obras' na Bolívia e no Uruguai

Não bastasse a tremenda falta de respeito com o povo brasileiro ao inaugurar a maior obra do seu governo, fora do Brasil, o governo Dilma concederá mais duas benesses. Uma delas é para a construção de um porto no Uruguai e outra é para ajudar a Bolívia de Evo Morales a 'consertar' equipamento de geração de energia.

Não se esqueçam que a Bolívia se apropriou indevidamente de uma refinaria da Petrobras em 2006, (Relembre).

US$ 500 milhões de dólares para o porto de águas profundas do Uruguai

O presidente uruguaio, José Mujica, disse que o Brasil financiará 80% de um novo porto de águas profundas, o que ajudará a neutralizar os esforços da Argentina para controlar a navegação no Atlântico Sul. Ele afirmou em entrevista publicada no jornal República na terça-feira que as obras começarão em cerca de um ano.

O projeto, avaliado em US$ 500 milhões, será construído em Rocha, no Uruguai, e o Brasil bancará a maior parte disso por meio do Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul. "O Brasil nos deu e nos dará uma grande mão com esse trabalho", comentou Mujica. "O Uruguai não tem a capacidade para financiar isso por si só e depende, por enquanto, de ajuda externa." Fonte: Associated Press Via Estadão

Ajudinha de R$ 60 milhões de Reais para a Bolívia

O governo enviou ao Congresso Nacional a Medida Provisória (MP) 625/13, que autoriza a liberação de R$ 60 milhões do Orçamento em vigor para atender o Ministério de Minas e Energia.

O recurso será usado pelo ministério para contratar, sem licitação, uma empresa estatal para prestar serviços de recuperação e transporte de equipamentos de geração de energia elétrica que estão em desuso. Os equipamentos serão cedidos à Bolívia em um programa de cooperação energética entre os dois países.

Segundo o Executivo, o governo boliviano solicitou ajuda ao brasileiro para enfrentar o deficit energético do País, que enfrenta racionamento de eletricidade. Os equipamentos serão retirados da Usina Termelétrica Rio Madeira, localizada em Rondônia, cujo maquinário estaria sem utilização.

De acordo com o governo, todas as máquinas que serão cedidas são consideradas “inservíveis” para uso público, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), precisando de reparos antes de serem enviadas à Bolívia. Fonte: Agência da Câmara

E O POVO BRASILEIRO? COMO FICA? ()()()

 





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



TUDO CHAPELUDO

MEDIDA DA CENSURA

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X