FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
23/11/2014   

MPF abre inquérito contra recrutamento de crianças brasileiras para doutrinação na Venezuela

Inacreditável mundo das Lulavilhas com o Bolivarianismo e o Foro de São Paulo>>>

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) está investigando através de um inquérito civil o recrutamento ilegal de crianças e adolescentes brasileiros pelo governo da Venezuela.

Leia também: Crianças brasileiras recrutadas para doutrinação na Venezuela

Relembre: o que estão ensinando/doutrinando nas escolas e universidades brasileiras

(Na foto: Elías Jaua e Niolás Maduro, responsáveis pelo recrutamento de crianças e jovens para o Bolivarianismo na Venezuela)

VEJA O QUE NOTÍCIA A MÍDIA LIVRE NA AMÉRICA DO SUL: Venezuela recluta a 26 niños de Brasil para adoctrinarlos

Segundo o órgão, eles seriam levados para serem doutrinados a atuar na chamada 'revolução bolivariana'

A ação contra a União é assinada pelo procurador da República Ailton Benedito. Ele diz que tomou a medida baseando em notícias veiculadas pela imprensa brasileira de que o vice-presidente setorial do Desenvolvimento do Socialismo Territorial da Venezuela e titular do Ministério das Comunas, Elías Jaua, leva adolescentes brasileiros para o país desde 2011.

No inquérito, consta ainda uma notícia veiculada no site do governo venezuelano de que 26 crianças e adolescentes participaram do treinamento no estado de Sucre das chamadas “Brigadas Populares de Comunicação”, com o intuito de moldá-los como "futuros jornalistas para servir o país".

"Temos que saber em que condições, quem levou e quem autorizou a ida dessas pessoas até a Venezuela. Abrimos o inquérito justamente para apurar em que circunstâncias isso ocorreu, qual a idade dos envolvidos, de onde são e qual a real quantidade deles", disse Benedito ao G1.

O procurador adiantou e que vai encaminhar ainda nesta segunda-feira (17) ofício ao Ministério das Relações Exteriores para saber quais as providências estão sendo tomadas nesse sentido. Segundo Benedito, esse é o órgão do governo federal que, neste caso, tem competência para estabelecer a relação com os outros países e esclarecer a questão. Depois de notificado, o ministério tem até dez dias para se manifestar.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. (Fonte: Com Informações de G1/Goiás) (Foto da Mídia Livre da Venezuela)





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



STF LIBERA GERAL

LAVA TOGA EM 1999

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X