FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
17/02/2016   

Mercedes afasta 1,5 mil funcionários por causa da crise. 41 mil tem jornada reduzida no Brasil

Vai vendo...

Sabem onde isso tudo vai parar? Num híbrido entre Holodomor Russo, Coreia do Norte e Venezuela Cubana se o povo não reagir e rápido.

REVEJA: Empresa aérea devolve 20 aviões e se prepara para demissões

REVEJA: Trabalhadores dizem que falta comida em casa e acampam na frente de empresa falida

REVEJA: Varejo afunda e escassez de produtos já atinge os supermercados em todo o Brasil

A CRISE QUE ESTÁ ACABANDO COM O BRASIL>>>

***De acordo com a associação dos fabricantes de veículos (Anfavea), em 1 ano, cerca de 14,8 mil trabalhadores da indústria automotiva perderam seus empregos.

No total, as fábricas empregam atualmente 129,4 mil pessoas, ante 144,2 mil em janeiro do ano passado.

A redução da força de trabalho foi de 10,2% no período de janeiro de 2015 a janeiro de 2016, informou a Anfavea.

Além disso, 41.900 funcionários estavam com alguma redução da jornada no final de janeiro, sendo 6.300 com a suspensão temporária dos contratos (lay-off) e 35.600 dentro do Plano de Proteção ao Emprego (PPE), proposto pelo governo federal para evitar demissões.

MERCEDES EM SÃO BERNARDO DO CAMPO

A Mercedes-Benz afirmou na última quinta-feira (11/02/2016) que vai afastar cerca de 1,5 mil trabalhadores ligados à produção da fábrica de São Bernardo do Campo a partir de 17 de fevereiro. Os empregados ficarão em processo de licença remunerada por tempo indeterminado, afirmou a montadora, que produz caminhões, ônibus e agregados na fábrica do ABC.

De acordo com a empresa, o grupo de 1,5 mil trabalhadores representa uma parte do atual excedente da empresa, que supera 2 mil funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo. "O ano de 2016 começou com o mercado de veículos comerciais ainda mais baixo, sinalizando que terá um volume de vendas inferior a 2015, o qual já foi bastante ruim", disse a montadora por meio de sua assessoria de imprensa. A Mercedes-Benz diz que tem utilizado apenas metade da força de trabalho na fábrica. Em janeiro, o segmento de caminhões e ônibus fechou com 5.601 unidades emplacadas, representando uma queda de 43,46%, em relação a janeiro de 2015, quando 9.906 unidades foram vendidas. ***(Com informações de Auto Esporte)  (Com foto de arquivo de O Estado)

===

É... E AGORA?





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



MAMÃE LEOPARDA

AIDS TEM CURA

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X